Página principal



Microsoft Word pag 01-03. docx

Descargar 1.43 Mb.
Ver original pdf

Microsoft Word pag 01-03. docx





Descargar 1.43 Mb.
Ver original pdf
Página63/85
Fecha de conversión05.10.2018
Tamaño1.43 Mb.
1   ...   59   60   61   62   63   64   65   66   ...   85

Freitas, K. R. T. de et al. 

Rev. de Economia Agrícola, São Paulo, v. 61, n. 2, p. 53-75, jul.-dez. 2014

 

66

a União Europeia e os Estados Unidos, onde o gado 

bovino é criado, principalmente, em confinamentos. 

 

Analisando o mercado argentino, o país tem 

perdido relativa importância no cenário internacio-

nal, porém o volume de cabeças de gado tem-se 

mantido dentro da média anual. Como o governo 

interfere diretamente no setor, através das restrições, 

o país tem deixado de arrecadar capital externo, ou 

seja, tem entrado menos dólar do exterior, tal fato, 

contribuiria para sua balança comercial. O ano de 

2013 foi um ano de recuperação para a Argentina, 

visto que as exportações e a produção sofreram que-

da nos dois anos anteriores. A produção de carne 

aumentou e os abates cresceram 9% no ano de 2013. 

 

O Brasil tem sido um dos principais fornecedo-

res de alimentos do mundo, não só por causa da carne 

bovina, mas o país tem se destacado em vários produ-

tos agroindustriais no comércio internacional. O país 

tem investido de maneira notável, principalmente 

pelos produtores, em genética animal, em tecnologia 

na produção da carne, além da questão sanitária, as-

sim contribuindo para que consumidores tenham 

confiabilidade em consumir a carne bovina brasileira. 

 

A produção argentina teve certa recuperação, 

em 2013, porém com menos alternativas de expor-

tação, a maioria da produção foi vendida domestica-

mente. Nesse ano, o consumo argentino foi de 60 kg 

per capita. A Argentina tem capacidade de absorver a 

maior parte da produção, mas com preços baixos, 

fazendo com que o setor perca atratividade. As indús-

trias frigoríficas da Argentina têm encontrado dificul-

dades para competir em muitos mercados, em deco-

rrência das cotas que o governo impõe para a expor-

tação, além da alta taxa de câmbio, fazendo com que o 

país venha diminuindo sua competitividade. 

 

No caso brasileiro, o Brasil vem batendo re-

cordes em exportação, devido ao aumento da de-

manda pela carne brasileira no mundo e a sua com-

petitividade vem aumentando. O Brasil foi o princi-

pal exportador mundial de carne bovina, sendo que 

competiu mercados com outros grandes exportado-

res do setor, que estão entre os principais no mundo 

da carne bovina, sendo eles: Índia, Estados Unidos, 

Austrália e Uruguai. Este crescimento nas expor-

tações trouxeram consequências ao mercado interno, 

com uma oferta menor ao mercado consumidor, 

com preços cada vez maiores, proporcionando au-

mento com os gastos na alimentação, refletindo no 

aumento do custo de vida dos brasileiros. 

 

 

LITERATURA CITADA 

 

A

NUÁRIO DA 

P

ECUÁRIA 

B

RASILEIRA 

-

 

A

NUALPEC

.  Anuário 

2015. São Paulo: Anualpec, 2015. p. 291. 

A

SSOCIAÇÃO 

B

RASILEIRA DAS 

I

NDÚSTRIAS 

E

XPORTADORAS DE 

C

ARNES

.

 

A

BIEC

.  Banco de dados. São Paulo: A

BIEC

, 2013.  

Disponível em:

stat_mercadomundial.pdf>. Acesso em: 18 dez. 2014.  

______. Exportações de carne bovina argentina crescem 

54%. São Paulo: A

BIEC

, 2009. Disponível em:

www.abiec.com.br/noticia.asp?id=361#.VQIF1fnF9DA>. 

Acesso em: 12 mar. 2015. 

______.  Pecuária Brasileira. São Paulo: ABIEC. Disponível 

em: . Acesso 

em: 10 dez. 2014. 

B

ATALHA

, O. B. Gestão agroindustrial. 3. ed. São Paulo: 

Atlas, 2013. 

 

B

LISKA

, F. M. M. Impactos de alterações nas exportações 

brasileiras de carnes sobre a economia brasileira. 1999. 217 

p. Tese (Doutorado) - Escola Superior de Agricultura “Luiz 

de Queiroz”, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1999. 

C

ANUTO

,

 

O.;

 

X

AVIER

,

 

C.

 

L. Padrões de especialização e 

competitividade no comércio exterior: uma análise estru-

tural-diferencial. Textos para discussão, Campinas, v. 35, n. 

86, p. 4-19, set. 1999. 

C

ARVALHO

, F. de. O comportamento das exportações 

brasileiras e a dinâmica do complexo agroindustrial

Piracicaba: E

SALQ

, 1995. 

C

ARVALHO

,

 

M.

 

A.;

 

S

ILVA

,

 

C.

 

R.

 

L. Economia internacional. 4. 

ed. São Paulo: Saraiva, 2007. 

C

ENTRO DE 

E

STUDOS 

A

VANÇADOS EM 

E

CONOMIA 

A

PLICADA 

-

 

C

EPEA

Banco de dados. São Paulo: C

EPEA

/U

SP

/C

NA

, 2014. 

Disponível em: . Acesso 

em: 14 maio 2015. 

C

ORONEL

,

 

D.

 

A.;

 

M

ACHADO

,

 

J.

 

A.

 

D.;

 

C

ARVALHO

, F. M. A.  

Análise da competitividade das exportações do complexo 

soja brasileiro de 1995 A 2006: uma abordagem de Marke-

Share.  Revista de Economia Contemporânea, Rio de 

Janeiro, v. 13, n. 2, p. 281-308, 2009. 

C

OUTINHO

, E. et al. De Smith a Portes: um ensaio sobre as 

teorias do comércio exterior. Revista de Gestão U

SP

, São 


1   ...   59   60   61   62   63   64   65   66   ...   85

Similar:

Microsoft Word pag 01-03. docx iconMicrosoft Word manualtecnico dic docx. (2). docx
Definiciones importantes
Microsoft Word pag 01-03. docx iconMicrosoft Word Youth Consent Form sp fin docx doc docx
Ciudad Estado Código postal
Microsoft Word pag 01-03. docx iconMicrosoft Word Ley Nº 121 t c. pág web col def art. 50 y 79. doc

Microsoft Word pag 01-03. docx iconMicrosoft Word conceptosbasicosdeTrigonometria docx

Microsoft Word pag 01-03. docx iconMicrosoft Word Formulario docx

Microsoft Word pag 01-03. docx iconMicrosoft Word Gaceta8036. docx

Microsoft Word pag 01-03. docx iconMicrosoft Word wv1 Newsletter 9-14-17-sp docx

Microsoft Word pag 01-03. docx iconMicrosoft Word boletin -gilberto docx

Microsoft Word pag 01-03. docx iconMicrosoft Word samig18 history docx

Microsoft Word pag 01-03. docx iconMicrosoft Word cartilla de usuario docx



Descargar 1.43 Mb.
Ver original pdf