Página principal



Ofil -xiv-1

Descargar 0.78 Mb.
Ver original pdf

Ofil -xiv-1





Descargar 0.78 Mb.
Ver original pdf
Página61/67
Fecha de conversión09.05.2018
Tamaño0.78 Mb.
1   ...   57   58   59   60   61   62   63   64   ...   67

(minimização da pressão selectiva); (2) utilizar

antibióticos durante o mais curto espaço de

tempo possível; (3) usar a dose de antibiótico mais

adequada; (4) recorrer a padrões locais de sensi-

bilidade para a escolha empírica mais apropriada

do antibiótico; (5) tratar as infecções dos doentes

em ambulatório o mais rapidamente possível,

com antibióticos orais ou intravenosos no domi-

cílio; (6) não prescrever antibióticos nas situações

em que o benefício é duvidoso, como síndromes

virais suspeitos, bacteriúrias assintomáticas em

idosos com cateteres, úlceras de decúbito sem

abcessos, infecções sistémicas ou colonização

bacteriana do tracto respiratório; (7) interpretar

correctamente resultados de culturas e de sensibi-

lidade, como por exemplo, reconhecer a conta-

minação frequente das culturas sanguíneas com

estafilococos coagulase-negativos; (8) limitar a

profilaxia antimicrobiana aos antibióticos aprova-

dos (indicações e duração).

A vancomicina, pelo seu papel importantíssi-

mo no tratamento de infecções especialmente

graves, merece um destaque especial e recomen-

dações específicas, devendo a sua utilização ser

limitada às seguintes situações (Virk e Steckelberg,

2000): Infecções provocadas por cocos Gram-

positivos resistentes aos antibióticos β-lactâmicos

como  S. aureus meticilino-resistentes; Alergias

graves aos β-lactâmicos; Diarreia associada à uti-

lização de antibióticos que não responde ao

metronidazol; Profilaxia da endocardite infeccio-

sa; Profilaxia do material prostético em áreas de

grande prevalência de S. aureus meticilino-resis-

tentes e estafilococos coagulase-negativos; Utili-

zação empírica apenas em situações de grande

prevalência de S. aureus meticilino-resistentes e

estafilococos coagulase-negativos e na meningite

pneumocócica, até estarem disponíveis os resul-

tados de sensibilidade.

Os farmacêuticos fazem parte das Comissões

de Farmácia e Terapêutica que mantêm a organi-

zação do Formulário Hospitalar e de programas

restritos de utilização de antibióticos (Ibrahim et

al, 2001). Estes profissionais são também partici-

pantes inter-disciplinares no desenvolvimento de

linhas de orientação específicas relacionadas

com a infecção, que muitas vezes incluem reco-

mendações directas de utilização de antibióticos

(Ibrahim et al, 2001). A restrição das escolhas anti-

microbianas, através dos formulários, reduz a

exposição da flora hospitalar a um diversidade de

agentes antimicrobianos (Ibrahim et al, 2001).

Um estudo demonstrou que a restrição de cefa-

losporinas de 3ª geração (nomeadamente ceftazi-

dima) em doentes neutropénicos febris, esteve

associada a uma redução da prevalência de Ente-

rococos vancomicina-resistentes (Patterson,

62

V

ol.

14  Nº 1

● 

2004

TABELA IV

Princípios de controlo da 

resistência aos antibióticos

Utilização apropriada dos antimicrobianos:

– Optimização da utilização dos antimicrobianos

– com o objectivo terapêutico, profiláctico ou

empírico;

– Restrição de certos agentes antimicrobianos;

– Rotação dos agentes antimicrobianos;

– Combinação de terapêuticas antimicrobianas;

– Implementação de linhas de orientação para

utilização de antibióticos na prática clínica.

Programas de vigilância da resistência aos anti-

microbianos:

– Detecção rápida e notificação de novos

padrões de resistência;

– Detecção rápida de microorganismos resistentes.

Programas efectivos de controlo da infecção em

hospitais:

– Identificação e isolamento rápidos de doentes colo-

nizados com microorganismos/estirpes resistentes.

Educação de profissionais de saúde, nomeada-

mente dos responsáveis pela prescrição.

Utilização de monitorização computorizada e de

“feed-back” da utilização de agentes antimicrobianos.

Abordagem multidisciplinar no controlo da

resistência.

Verificação/revisão de procedimentos hospitalares

por agências de supervisão e independentes da saúde. 

Dados de Shlaes e associados.

Fonte: Virk e Steckelberg, 2000



1   ...   57   58   59   60   61   62   63   64   ...   67

Similar:

Ofil -xiv-1 iconComisión Económica para América Latina y el Caribe XIV seminario regional de política fiscal
El programa del XIV seminario Regional de Política Fiscal refleja los criterios que
Ofil -xiv-1 iconAnexo XIV formulario normalizado del
Parte I. Información sobre el procedimiento de contratación y el poder adjudicador o la entidad adjudicadora
Ofil -xiv-1 iconApéndice XIV
Elaborado por el Grupo Electrónico de Trabajo bajo la Presidencia de Argentina y la Co-Presidencia de Costa Rica
Ofil -xiv-1 iconDirección de delegaciones regionales de trabajo y empleo (I a XIV)
Nº 2841/08 funciones asignadas al Ministro de Trabajo dentro de la jurisdicción y
Ofil -xiv-1 iconXivsiemai® – (simposio internacional educación música artes interculturales) – IX encuentro de primavera®
Xiv siemai®(international symposium intercultural education music arts) – IX spring meeting®
Ofil -xiv-1 iconXiv asamblea ordinaria de la clac
Asamblea Ordinaria en la ciudad de Santo Domingo, en los días y de noviembre de 2000; en
Ofil -xiv-1 iconXiv congreso y Exposición sobre Grasas y Aceites de la Sección Latinoamericana de aocs un espacio de recursos para el mercado iberoamericano
Las presentaciones orales contarán con traducción simultánea inglés-español-inglés
Ofil -xiv-1 iconXiv versióN
La Asociación Colombiana para el Avance de la Ciencia, acac, es una entidad sin ánimo de lucro, que desde hace 37 años, trabaja por...
Ofil -xiv-1 iconUniversidad de chile instituto de estudios internacionales
Ii 1 Capítulo XIV del Compendio de Normas y Cambios Internacionales del Banco Central de Chile 17
Ofil -xiv-1 iconDisposición 12618 del boe núm. 243 de 2012
Resolución de 20 de septiembre de 2012, de la Dirección General de Empleo, por la que se registra y publica el XIV convenio colectivo...


Descargar 0.78 Mb.
Ver original pdf